Entenda a crise da Venezuela

A Venezuela possui a maior reserva de Petróleo do mundo, maior do que países árabes, porém passa por uma intensa crise onde aproximadamente 3,7 milhões de pessoas passam fome e vivem na extrema pobreza, a Venezuela também possui um índice de violência muito elevado comparado a outros países.


Ano passado a população sofreu uma crise tão intensa que não havia papel higiênico para comprar, e após a aprovação da importação de 39 milhões de rolos de papel higiênico, o presidente do Instituto Nacional de Estatísticas da Venezuela, afirmou que isso ocorreu porque a população esta comendo mais do que os outros anos. Além disso, há falta de água, falta de medicamento e até energia elétrica.


Foi implementado um novo horário de verão para aproveitar a luz solar, e mesmo assim algumas pessoas podem ficar até 4 horas sem energia. Além disso foi criado uma lei onde 90% da farinha produzida deve ser destinada para a produção de pão simples com o objetivo de tirar a fome da população. E a cada dia que passa mais venezuelanos abandonam seu país, para ir em busca de uma melhor condição de vida em Boa Vista, Roraima, onde aceitam fazer qualquer tipo de trabalho para alimentar seus filhos.


Herança maldita?



É chamada de herança maldita os países que possuem recursos naturais abundantes, porém não há uma boa administração e não conseguem se desenvolver.

A economia da Venezuela é focada na exportação de Petróleo, 96% da renda venezuelana é proveniente desse recurso, e o país acredita firmemente sofrer com a herança maldita e explica a crise atual de duas formas:


1) PETRÓLEO:


Queda dos preços mundiais dos barris petróleo e queda significativa da produção desse recurso natural. Mesmo assim a Venezuela vende o petróleo abaixo do preço de mercado para países aliados caribenhos.


2) Relações internacionais:

Sanções impostas pelos EUA, impossibilitam empréstimos internacionais e a suspensão do país no acordo MERCOSUL;


O socialismo e a "democracia"


Não se pode culpar apenas a queda sazonal do preço e produção do petróleo, uma vez que há uma forjada democracia, corrupção em todos os setores, principalmente na política, onde não há independência entre legislativo,executivo e judiciário, possuindo uma assembleia nacional única ao invés de um senado. Hoje vivem em uma inflação sem fim, onde o salário mínimo não é capaz de comprar alimentos para 1 dia.


A medida em que a crise foi se agravando ainda na época de Chaves, a oposição foi aumentando, e após sua morte aumentou ainda mais. Há uma grande oposição dentro desse regime socialista, porém a população já não acredita no poder do voto uma vez que candidatos oponentes são mortos e torturados. Após a morte de Hugo Chaves, o vice Nicolás Maduro assumiu o poder, a população clamou por novas eleições diretas, porém Maduro afirmou que havia fraude nas assinaturas da solicitação de novas eleições e dessa forma assumiu o poder e fez uma nova constituinte.

Segundo o economista liberal Ludwig Von Mises o socialismo é inviável, pois não há preço, e o “preço” é a linguagem do mercado, como o mercado se comunica interna e externamente, em um sistema de governo socialista não há diálogo interno e muito menos externo .

A infeliz solução para a crise Venezuelana: Esperar o governo maduro, ou uma medida externa, porque através da "democracia" não é mais possível.



Relação Brasil e Venezuela com o novo governo Brasileiro (2019)


A Venezuela foi um dos primeiros países a felicitar a vitória do Jair Bolsonaro à presidência da república, no twitter e em nota oficial, esse fato chamou muita atenção uma vez que Bolsonaro pautou sua campanha inteira em quebrar alianças com a “ditadura bolivariana” e não transformar o Brasil em uma Venezuela.


Na nota declarada pela Venezuela, há sinceras felicitações ao futuro presidente assim como apelo a continuar com as relações diplomáticas, porém no final da nota solicita ao Brasil que não se meta em assunto internos da Venezuela e deixe o país com sua soberania.



5 visualizações