OEA - Por que, quando e como obter a certificação

O programa Operador Econômico Autorizado (OEA) foi criado em 2005 em Bruxelas, mas teve sua primeira fase implantada no Brasil em 2005. O objetivo inicial do OEA era a integração entre as aduanas e todos os envolvidos do comércio global para atingir cooperação, consulta e comunicação.


  • Cooperação: Visa a assistência entre os intervenientes certificados para a facilitação das operações;


  • Comunicação: Visa o entendimento e confiança entre as partes;


  • Consulta: Visa o intercâmbio de informações entre os intervenientes – sempre observando a confidencialidade das operações.


O programa é uma colaboração entre setor público e privado.Enquanto a Receita Federal e sociedade ganham com mais controle para verificar ações criminosas na cadeia de comércio global. Os intervenientes certificados devem receber mais agilidade, simplificação e desburocratização no fluxo de seus processos.


Além disso, os países que utilizam essa certificação possuem reconhecimento internacional de boas práticas.


Quem pode participar e quando?


A participação deve ser realizada de forma voluntária, porém a empresa que optar por não ser vinculada na OEA não poderá usufruir dos benefícios.


Os intervenientes do comércio exterior que podem participar são: importador, exportador, transportador, agente de carga, recinto alfandegado e operador portuário e aeroportuário.


Para que qualquer um dos intervenientes citados consiga adquirir a certificação de Operador Econômico Autorizado é preciso a comprovação da excelência em operações do Comércio Exterior.


Quais são os benefícios da certificação OEA?


As certificações são dividas em diferente níveis, portanto os são concedidos da seguinte forma:


Para todas as modalidades, independente do nível de certificação:


  • Divulgação no site da RFB, mediante solicitação;

  • Permissão de utilização da Logomarca "AEO” (Authorized Economic Operator);




  • Estabelecimento de um Ponto de Contato para a comunicação entre a RFB e o OEA para esclarecimento de dúvidas relacionadas ao Programa e a procedimentos aduaneiros;

  • Prioridade de Análises do pedido de certificação de operador que já tenha sido certificado em outra modalidade ou nível do Programa Brasileiro de OEA;

  • Benefícios concedidos pelas Aduanas Estrangeiras;

  • Participação no Fórum Consultivo de elaboração de propostas;

  • Dispensa de exigências já cumpridas;

  • Participação em Seminários e Treinamentos.

OEA-Conforminidade:

  • Dispensa de garantia na Admissão Temporária para utilização econômica;

  • Carga Pátio 24horas: Tratamento de armazenamento prioritário na importação modal aéreo;

  • Permissão de pedidos de retificação em lote em quantidades iguais ou superiores a cinquenta declarações.

  • Resposta à Consulta de Classificação Fiscal em até 40 dias e Dispensa de Garantia na Admissão Temporária para Utilização Econômica.


OEA-Segurança:

  • Redução percentual de canais de conferência na exportação;

  • Parametrização imediata;

  • Prioridade de conferência das DEs selecionadas para inspeção;

  • Dispensa de garantia no Trânsito Aduaneiro;

  • Acesso prioritário dos transportadores OEA aos Recintos Aduaneiros.


OEA-Conformidade Nível 2:

  • Redução do Percentual de Canais na Importação;

  • Parametrização Imediata e prioridade nas conferências da Declaração de Importação;

  • Registro da DI antes da chegada da carga no modal marítimo, com aplicação de seleção parametrizada imediata;

  • Canal Verde na Admissão Temporária,


Abaixo nota-se a tabela disponível pela RFBR, onde é possível analisar quais intervenientes podem usufruir de determinados benefícios:




É importante ressaltar que em uma operação quanto mais intervenientes forem certificados no OEA, mais benefícios haverá para a operação como um todo.


Como obter a certificação OEA?


O processo de certificação de uma empresa na OEA consiste na gestão de riscos em algumas etapas:


1- Conhecer os riscos; 2- Combater os riscos; 3- Monitorar os processos de trabalho;


Dessa forma, a Receita Federal analisará todos os procedimentos operacionais da empresa que solicitar a certificação, que deve comprovar seus métodos de trabalho.


Para solicitar o requerimento é necessário acessar a área “Certificação OEA” no SISCOMEX e clicar na opção Responsável Legal, onde o primeiro acesso deve ocorrer pelo e-CPF.





Na sequência identifique o CNPJ da empresa que irá atuar na cadeia logística e clique em Requerimento


No requerimento deve ser adicionado qual modalidade (nível) a empresa deseja participar, que tipo de interveniente a empresa é, e o CNPJ da matriz da empresa.


Após o envio do requerimento, a empresa deve selecionar a ciência no termo de compromisso, que diz respeito a transparência que o operador deve possuir perante a RFBR.


Se o requerimento for aprovado, ainda há critérios de elegibilidade que devem ser comprovados, e por fim uma avaliação presencial com funcionários da RFBR que entrevistam os colaboradores da empresa, apresentam o plano OEA e avaliam as medidas de gerenciamento de risco por parte da empresa.


A OEA é um programa que trará benefícios a longo prazo, é importante possuir esse certificado para comprovar idoneidade das operações de Comércio Exterior e usufruir dos benefícios já disponíveis pelo programa.




Artigo escrito por Kauana Benthien A. Pacheco

Kauana tem seis anos de experiência no comex, é formada em Negócios Internacionais e cursa pós-graduação em Big Data & Market Intelligence. É criadora da página de conteúdo sobre comércio exterior, a ComexLand, onde escreve sobre Economia Global e Comércio Internacional.


20 visualizações