Dia do Comércio Exterior

O profissional do Comércio Exterior passa por diversos desafios em sua rotina e com certeza merece um dia especial só para ele! Mas você sabe como tudo isso começou no Brasil?


Há 213 anos atrás, no dia 28 de janeiro de 1808, em Salvador, foi assinado o decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas, apenas seis dias após a chegada da Família Real no Brasil, dando fim ao pacto colonial com Portugal que impossibilitava o Brasil de comprar e vender internacionalmente.


O decreto de abertura dos portos permitiu a importação de produtos como roupas, cristais, perfumes, talheres, louças, sabonetes, escovas, pentes, velas e barbantes e a exportação de produtos como açúcar, algodão, cacau, café e tabaco.






Decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas. - Arquivo de domínio público


Tudo isso ocorreu porque nesta época, o imperador francês Napoleão I decretou o Bloqueio Continental e proibiu o comércio entre a Europa e Inglaterra. Portugal manteve relacionamento comercial com os britânicos. E a Família Real Portuguesa foi escoltada para o Brasil como medida de proteção.


Visto isso, o Brasil precisava melhorar suas condições econômicas para a sobrevivência da família real e isso incentivou a abertura dos portos às nações amigas.


A principal “Nação Amiga” beneficiada era a Grã Bretanha, por outro lado, a França foi excluída totalmente das negociações internacionais.


Com a autonomia brasileira no Comércio Internacional, a dinâmica econômica mudou os hábitos da população que passou a consumir produtos importados e as cidades, aos poucos, começaram a se transformar.


Devido ao fato de países europeus não desejarem que o Brasil desenvolvesse indústrias, temendo perder mercado consumidor, a economia do Brasil dependeu exclusivamente da produção agrícola, precisando importar praticamente todos os produtos industrializados até metade do século XX.


Mesmo o Brasil tendo se tornado uma das maiores economias do mundo no século XXI, ainda sentimos falta de diversificação de mercado e de desenvolvimento industrial no país. Por outro lado, o Brasil é rico em recursos naturais que suprem as necessidades internas e também externas.


Mesmo sendo uma área desafiadora que ainda necessita de muita evolução e paixão do profissional, essa profissão é uma peça chave na economia brasileira, pois colabora diariamente com o desenvolvimento do país.


Parabéns a todos os profissionais do Comércio Exterior!


Artigo escrito por Kauana Pacheco para a UxComex Tecnologia


Kauana é formada em Negócios Internacionais e cursa pós-graduação em Big Data & Market Intelligence. É fundadora da primeira agência de marketing focada em Comércio Exterior, a ComexLand.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Assine GRÁTIS

a newsletter semanal

da ComexLand.