A IMPORTÂNCIA DAS INDÚSTRIAS NA ECONOMIA BRASILEIRA.

Comemoramos hoje, 25 de maio, uma data muito importante para o nosso país, o Dia da Indústria. Iniciado na Era Vargas (1930-1945) e ganhando ainda mais espaço no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961), a industrialização do Brasil é um dos pilares que sustentam nosso país através da geração de milhões de empregos diretos e indiretos (cerca de 20% dos empregos formais no Brasil estão nas indústrias), dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento, da fabricação de bens internamente, fortalecendo assim empresas nacionais e da maior participação de multinacionais que investem em nosso território, trazendo competitividade e novas tecnologias.


O dia 25 de maio foi escolhido para se falar em indústria no Brasil pois é a data do falecimento de Roberto Simonsen, patrono da indústria nacional que além de atuar na engenharia, também se destacou como professor, historiador e político. Entre 1938 a 1945, com a colaboração de Simonsen, o Brasil começou a fabricar produtos que até então tinham de ser importados de países da Europa e da América do Norte.


DADOS DA INDÚSTRIA NACIONAL


As atividades industriais como um todo representam cerca de 20% do nosso Produto Interno Bruto (PIB), além de corresponder por quase 70% das exportações de bens e serviços brasileiros e por 70% do investimento privado em pesquisa e desenvolvimento.


Outro dado muito interessante fornecido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) é o alto retorno lucrativo da indústria, pois a cada R$1,00 produzido, são gerados R$2,43 na economia nacional, enquanto em outros setores os valores gerados a partir de R$1,00 produzido são menores, como na agropecuária cujo retorno é de R$1,75 e no comércio e serviços, com retorno de R$1,49 em média.


Apesar dessa grande relevância da indústria para a economia brasileira, houve algumas perdas nos últimos anos que fizeram com que a participação brasileira na produção industrial mundial saísse do top 10 e fosse para a 16ª colocação. Até 2014 o Brasil estava entre os 10 principais países no ranking de Desempenho da Indústria feito pela CNI, mas entre 2015 e 2019, países como México, Indonésia, Rússia, Taiwan, Turquia e Espanha superaram a produção brasileira, sendo um dos motivos os reflexos da crise econômica que o Brasil enfrentou entre 2014 e 2016.


Dentre os principais produtores mundiais temos a China como líder absoluta em seguida os Estados Unidos, Japão, Alemanha, Índia e Coreia do Sul.


EXPORTAÇÕES INDUSTRIAIS


Além desse recuo na produção industrial, consequentemente o Brasil também perdeu algumas posições no ranking mundial de exportações. Em 2018, o Brasil foi o 30º maior exportador de produtos da indústria de transformação, ao contrário do ritmo mundial, cujo a maioria dos países elevou suas exportações. A China é a líder nas exportações desse setor, seguida da Alemanha, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.


No primeiro trimestre deste ano, houve alta de 3,6% nos embarques de produtos industrializados em relação ao mesmo período de 2020. Porém, a participação das fábricas nas exportações recuou de 46% para 42%, enquanto nos anos 2000 era cerca de 70% e em 2016 já havia caído para 56%. Dados indicam que nos últimos 10 anos, o Brasil deixou de exportar 38 milhões de dólares. Dentre os principais consumidores dos produtos brasileiros, as exportações para a China cresceram 26%, para a União Europeia os níveis se mantiveram iguais aos do ano passado, para os Estados Unidos houve queda de 7% e para o Mercosul, alta de 27%.



Iara é graduada em Relações Internacionais e Comércio Exterior. Produtora de conteúdo na página ComexLand com experiência de mercado na área comercial, de logística e importação.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo