A importância da Inteligência no Comércio Exterior



No Comércio Exterior a troca de dados e informações é constante, usar esses dados da forma correta é inteligência. A inteligência aplicada ao mercado traz diversos benefícios para a companhia, como maior assertividade na tomada de decisão, identificação de novos negócios, aproximação com o cliente, prospecção de clientes e fornecedores, redução de custos e maior lucro para a empresa.


Conceitos:


Para entender o que é a inteligência é necessário conhecer alguns conceitos básicos que estão no dia a dia das empresas e dos profissionais.


  • Dado: é tudo aquilo que pode ser decodificado;


  • Informação: é um conjunto de dados que transformados e unificados a um contexto auxiliam na tomada de decisão;


  • Conhecimento estratégico: são informações unidas a experiência de um indivíduo com o objetivo de alcançar um objetivo.


A Inteligência de Mercado

A Inteligência de mercado tem como objetivo capturar, organizar e analisar informações externas que podem interferir nos planos da empresa, como: mercado, tendências, concorrentes, produtos, vendas, marketing, fornecedores e clientes.


Alguns benefícios de utilizar no comércio exterior:


  • Armazenar as informações corretamente auxilia os players a obter previsibilidade nas operações, uma vez que possuindo todas as informações organizadas é possível a identificação de um padrão;

  • Conhecer melhor o cliente faz com que as empresas consigam desenvolver a solução exata que o ajuda;

  • Melhor definição de canais de distribuição e rotas logísticas;

  • Mapeamento da concorrência e inovações;

  • Conhecimento dos comportamentos do mercado;

  • Fácil adaptação em casos inesperados.


O que são KPIs?

Key Performance Indicator, ou KPIs são indicadores internos para mensurar o desempenho da companhia em um processo ou projeto, ou seja, são dados relevantes para a tomada de alguma ação. Abaixo alguns exemplos de KPIs que pode ser utilizados no Comércio Internacional:


  • Quantidade e frequência de embarques;

  • Profit por embarque;

  • Prejuízo por erros;

  • Retificações realizadas em documentações;

  • Principais clientes;

  • Principais fornecedores;

  • Avarias e preocupação na armazenagem da carga;

  • Tempo médio do ciclo do pedido a chegada do embarque;

  • Transit time;

  • Benefícios utilizados

  • Reduções de custos;

  • Recursos utilizados;

  • Verificação e eficiência de rotas, transbordos e transit time.

O que são KIQs?


Key Intelligence Questions ou KIQs são perguntas essenciais que devem ser feitas para auxiliar na inteligência de mercado, elas podem ser diversas, portanto é necessário focar no objetivo da empresa em determinado projeto. Abaixo alguns exemplos de KIQs que podem ser utilizadas para o Comércio Internacional:


  • O mercado de determinado país está crescendo, estável ou em queda?

  • Quais os hábitos dessa população?

  • Os seus concorrentes estão investindo, afastando-se ou fortalecendo sua presença?

  • Quais oportunidades e ameaças esse mercado apresenta?

  • Como cresce a demanda a curto, médio e longo prazo?


Como conseguir uma boa inteligência de mercado?


O primeiro passo para a inteligência de mercado é a gestão da informação, pois nenhuma informação pode ser desconsiderada ou perdida se armazenada no local errado, portanto a organização, tratamento e armazenagem são de extrema importância.


Após a empresa conseguir recursos de gestão da informação, é preciso o recebimento e interpretação de relatórios e pesquisas do mercado desejado, seus concorrentes, fornecedores e clientes.


Encontrar estratégias de fidelização para clientes já existentes também é muito importante para a inteligência de mercado.


É muito caro ter inteligência de mercado?


A inteligência de mercado deve ser entendida como um investimento, pois auxilia a empresa na tomada de decisão e com a redução significativa dos erros e aumento da competitividade é possível obter mais lucro.


Artigo escrito por Kauana Benthien A. Pacheco para a LogComex

Kauana tem seis anos de experiência no comex, é formada em Negócios Internacionais e cursa pós-graduação em Big Data & Market Intelligence. É criadora da página de conteúdo sobre Comércio Exterior, a ComexLand, onde escreve sobre Economia Global e Comércio Internacional.