10 COISAS QUE TIRAM OS PROFISSIONAIS DE COMEX DO SÉRIO.



Todos os profissionais que trabalham com comércio exterior sabem que não é fácil sobreviver a rotina maluca. A cada dia o profissional dessa área recebe um novo desafio e uma nova missão para cumprir dentro do prazo estipulado.







Esse profissional é capaz de lidar com as burocracias mais incompreensíveis, e além do diploma de comércio exterior carrega uma bagagem enorme de direito, economia, geografia, matemática e se duvidar até física quântica (A famosa lei da atração: - Vai cair em canal verde, vai cair em canal verde, vai cair em canal verde, vai cair em canal verde...)


Mas no dia a dia, nem tudo é trazer celulares baratos da China e blusas na Nike para revender no Brasil, como a maioria dos mortais pensam, também passamos por momentos de puro nervosismo resolvendo embarques elaborados e complexos que nem sempre saem do jeito que planejamos.


Em homenagem a esses momentos, esse artigo cita as:

10 COISAS QUE TIRAM OS PROFISSIONAIS DE COMEX DO SÉRIO.


1) Alarme falso;


Se você já recebeu um e-mail com o título abaixo, você sabe do que eu estou falando:


URGENTE CRÍTICO URGENTE PRIORIDADE TOP URGENT!!!! [A FÁBRICA VAI PARAR]






A pior parte não é o exagero por trás dos 5 "TOP URGENT" escritos no assunto, pois urgência é urgência. Mas sim, o ALARME FALSO.


Toda vez que você recebe um e-mail com esse famoso título e vai conferir a data de chegada da carga, você descobre que na verdade a carga só chegará depois de 2 meses, e que os URGENTES em vermelho com a letra tamanho 32 no corpo do e-mail, eram apenas um pedido de privilégios.



2) Sexta-feira;


Você já deve ter ouvido a frase, "no comércio exterior toda sexta feira é 13" e essa é a maior verdade que existe.


O desespero toma conta dos escritórios de comércio exterior, porém ainda não se sabe o real motivo: O medo dos próximos 2 dias, sem controle das cargas, que poderão tomar vida e dominar o mundo ou das cargas que já tomaram vida e começaram a se reproduzir em massa, em plena sexta-feira 17:55.


Chegou sexta-feira e todo mundo do escritório está só esperando a bomba que pode surgir a qualquer momento, véspera de feriado não vamos nem comentar.





3) Dead Lines;


Os prazos no comércio exterior são capazes de deixar qualquer um louco, é prazo para tudo, prazo para carga, prazo para documentos, prazo para a desconsolidação, prazo para retificação, prazo para deferimento da retificação e assim por diante.


O profissional de comex vive correndo atrás para cumprir cada prazo determinado e as missões mais impossíveis que seus clientes lhe pedem.


“Um profissional de comex com extensão de deadline não quer guerra com ninguém.”


  • Maaaaas se perder o prazo é só desbloquear no SISCARGA.

Vai nessa amigão, nem sempre é possível desbloquear no SISCARGA, as vezes é necessário apresentar os originais na RFBR, abrir protocolo no ECAC e enquanto isso está rolando aquela armazenagem e mais os famosos 5 mil reais de perda de prazo.


4) Multas;


Quem nunca ouviu a famosa frase que é repetida de coordenador para supervisor, de supervisor para analista, de analista para assistente e de assistente para estagiário :


  • Cuidado! Se errar é 5 mil de multa .


Essa ameaça circula nas empresas de comércio exterior, alguns afirmam ser uma lenda, outros afirmam já ter recebido o auto de infração. Mas uma coisa é certa, essa não é a pior coisa que pode acontecer, pois erros no comex podem ser uma grande bola de neve. São como fones embaraçados, quanto mais você arruma, mais embola.


5) Fiscais queridos;


Até hoje não se sabe o que muda tanto de um fiscal para o outro, de uma região para outra. Mas cada fiscal tem suas... Vamos chamar de peculiaridades.


O respeito pelos fiscais da receita federal é enorme, mas digamos que algumas pessoas já foram até expulsas pela polícia ao tentar “negociar” com o fiscal a liberação de uma carga.


Atualmente, com o ECAC essas situações de negociação com o fiscal diminuíram , mas as exigências continuam e mudam de alfândega para alfândega!

Adicionar texto alternativo


6) Ligação em conferência - Armador, importador, exportador, agente, despachante, cunhado do dono da transportadora e indiano que entrou sem querer no conference.


Ninguém merece sofrer um ataque de 3 ou mais pessoas no telefone, geralmente isso acontece no momento que você está com diversos e-mails e cotações para fazer.


Toca o telefone e é a temida ligação em conferência, é armador, é despachante, e agente, todos te questionando em português, inglês e espanhol sobre algo que talvez ainda envolve mais uma pessoa.

texto alternativo








7) Instabilidade do dólar


  • Tem coisa pior do que realizar um pagamento internacional em uma data e o dólar cair na data subsequente?


  • Tem! O dólar a R$4,50 para o importador.




8) BL sem assinatura;


Essa é clássica dos nossos queridos chineses, que utilizam a assinatura-carimbo e enviam os documentos ao Brasil sem assinatura de próprio punho.

Não importa o quanto você peça, implore, suplique, você receberá o original sem assinatura em caneta azul. Talkei? Mas você pode tentar pedir com carinho em mandarim, talvez assim de certo.


-请签名 - 否


9) Canal vermelho, ou melancia;


Canal vermelho é o momento mais trágico que um profissional de comex pode passar, mas pior que o canal vermelho e cinza, só o canal melancia, que é verde por fora mas vermelho por dentro.


Você avisa o seu cliente com o maior orgulho do mundo que a carga parametrizou em canal verde, no outro dia você descobre que o fiscal decidiu analisar a Declaração de Importação e o que era um lindo verdinho se tornou um trágico vermelho.


10) Falta de atualização;


A falta de atualização nessa área pode custar muito caro para a companhia e para o profissional, ninguém merece negociar com alguém que não está a par sobre o que está acontecendo no mundo, sobre a economia e sobre os últimos acontecimentos.


Por esse motivo a siga ComexlLand no instagram para receber notícias todos os dias!


Tem mais algum acontecimento que te tira do sério? Deixe nos comentários!


Artigo escrito por Kauana Pacheco para a LogComex

Kauana tem seis anos de experiência no comex, é formada em Negócios Internacionais e cursa pós graduação em Big Data & Market Intelligence. É criadora da página de conteúdo sobre comércio exterior, ComexLand, onde escreve sobre economia global e comércio internacional.


29 visualizações